Dieta para as pessoas com câncer

Incidência de câncer e fatores de risco

Em Espanha, 25% das mulheres (1 em cada 4 mulheres) e mais de 30% dos homens (1 em cada 3 homens) desenvolve um câncer ao longo de sua vida. Isso vai em aumento, mas, paralelamente, estão reduzindo os casos de mortalidade por câncer, graças aos avanços que ocorrem nos tratamentos médicos.

O câncer origina-se pelo conjunto de vários fatores: predisposição genética, hábitos tóxicos (álcool, tabaco), a poluição ambiental, má alimentação, problemas de excesso de peso e obesidade, fatores hormonais, infecções virais, idade, sexo, etc.

Fazer uma boa prevenção é cuidar dos aspectos que sejam modificáveis, como a alimentação e os hábitos de vida. Desde a infância se deve procurar comer de maneira saudável, variada e equilibrada, fazer exercício físico com regularidade e evitar substâncias tóxicas como o tabaco e o álcool.

Devem-Se realizar exames médicos em função do estipulado para cada idade e sexo da pessoa. Desta forma, podem-se realizar o diagnóstico de forma precoce (quando se inicia a doença) e agir com maior rapidez e eficácia.

Alimentação em situações de câncer

A alimentação nos casos de câncer deve ser individualizada em função de cada pessoa, tentando respeitar ao máximo os seus costumes e preferências. Sempre recomendaran suplementos naturais que acompanham as orientações dietéticas, já que nestes casos os requerimentos de nutrientes encontram-se aumentados e somente com a alimentação é muito difícil chegar a cobri-los. Entre os destaques estão:

  • Ácidos graxos cardiosaludables, como o omega-3, que têm um efeito anti-inflamatório natural e procuram um bom funcionamento do sistema nervoso central.
  • Nutrientes estimulantes da imunidade, como as proteínas, minerais como o Zinco e o Selénio e vitaminas como a a, C e E.

A parte de suplementação é importante fazer uma dieta rica em proteínas e cálcio. Por esta razão, os lácteos ou as bebidas vegetais, como de soja enriquecido em cálcio, são opções muito boas para o consumo diário.

Manter um bom estado físico e nutricional é complicado, mas possível se houver uma boa atuação por parte de todos os profissionais envolvidos. Quanto melhor alimentada seja a pessoa mais chances terá de superar a doença com sucesso.

Consequências sobre o estado nutricional quando há cirurgia

De acordo com a localização do tumor pode ter diferentes efeitos sobre a nutrição e o estado físico da pessoa.

Localização da excisão do tumor

Efeitos que podem causar

Recomendação

Cabeça e pescoço

Problemas de mastigação e deglutição. Secura de boca.Será necessário trabalhar e adaptar as texturas do alimento.

Estômago

Saciedade precoce e acidez. Deficiência de vitamina B12, vitamina D, ferro e cálcio. Intolerância ao leite.A dieta você terá que se adaptar a esta situação para resolver o refluxo e procurar uma correta nutrição da pessoa.

Intestino delgado

Diarreia, alterações hidroelectrolíticas, malabsorción de nutrientes, intolerância à lactose. Problemas com a assimilação de vitaminas e minerais.Com a dieta você pode tratar a diarreia e procurar proporcionar um maior aporte de nutrientes que são absorvidos em menor quantidade.

Cólon e reto

Diarreia, alterações hidroelectrolíticas e malabsorción de vitamina B12, magnésio, cálcio, sódio e potássio.É importante procurar uma correcta hidratação com aporte de nutrientes.

Pâncreas

Malabsorción de gorduras, vitaminas e alguns minerais, aumento dos níveis de açúcar no sangue.Dieta muito baixa em gordura e alta em nutrientes, com um aporte de açúcar gradual e controlado.

Fígado

Aumento dos níveis de açúcar, colesterol e triglicéridos no sangue. Défice de vitaminas e alguns minerais.Dieta baixa em gordura e com uma ingestão controlada de açúcar.

Vesícula biliar

Malabsorción de gordura, alterações hidroelectrolíticas e deficiência de vitaminas.Dieta controlada em gordura, uma boa hidratação e aporte extra de vitaminas.

Alimentação e Quimioterapia

O principal problema da quimioterapia são os efeitos colaterais. Os mais comuns, que interferem na alimentação de uma forma direta são: desconforto perante os odores, alteração no sabor dos alimentos, falta de apetite, diarreia, prisão de ventre, náuseas e vômitos.

O ginseng, tanto em chás, como para cozinhar, ajuda a diminuir as náuseas. Mas não se deve tomar, se você sofre de gastrite, o que é muito comum em pessoas com câncer.

Alimentos recomendados durante o tratamento com quimioterapia

  • Peixe e marisco: pescada, tamboril, bacalhau, caudas de camarão e camarão, etc.
  • Presunto serrano: removendo muito bem toda a gordura visível.
  • Clara de ovo: evitar a gema e cozinhe muito bem a clara.
  • Batata cozida, arroz, macarrão, pão e cereais de pequeno-almoço.
  • Azeite de oliva: comprar o de baixa acidez (0,2°).
  • Frutas doces no forno ou em compota: pêra, maçã, marmelo.
  • Legumes macios: judaica terna, cenoura, abobrinha, abóbora.
  • Liquefeitos de produtos hortícolas e frutas: cenoura e mamão ou maçã.
  • Lácteos desnatados: sobretudo iogurte sabor e queijinhos desnatados.
  • Chás: tila, maria luísa e melisa.

Alimentos a evitar durante o tratamento com quimioterapia

  • Carnes vermelhas: carne de vaca, porco, cordeiro, frios e patês.
  • Peixes: atum, salmão, bonito, etc.
  • Legumes: grão-de-bico, lentilha, feijão.
  • Gorduras: manteiga, margarina, creme de leite, laticínios integrais.
  • Frutas ácidas e frutas cítricas: laranja, tangerina, kiwi, limão, morango.
  • Repolho, couve-flor, brócolis, alcachofra, tomate.
  • Chás: chá, hortelã, camomila.
  • Café e álcool.

As preparações e cozimentos de alimentos também são muito importantes. Recomenda-Se: vapor, microondas, cozidas e ao forno. Há que evitar: frituras, alimentos crus ou parcialmente cozidos e placas. O apoio dos outros membros do agregado familiar é muito importante, já que devem ser os que cozinhar. Para diminuir o cheiro dos alimentos recomenda-se não servi-los quentes, melhor mornos ou frios.

Além disso, a quimioterapia produz uma alta toxicidade no organismo que uma boa hidratação pode ajudar a diminuir. Para isso, recomendamos beber muita água, tomar liquefeitos, chás, sumos de maçã e caldos de legumes.

Alimentação e Radioterapia

Os efeitos da radioterapia sobre o organismo são diversos, dependendo da área irradiada. Se a área está situada no trato gastrointestinal ou perto dele, é comum que haja mais consequências negativas que impedem uma correcta nutrição da pessoa.

A secura da boca ou nas mucosas internas e a inflamação pode melhorar a tomar:

  • Alimentos frios i sorvetes.
  • Texturas macias e triturados.
  • Alimentos ricos em caroteno: cenoura, abóbora, manga.
  • Azeite de oliva cru.
  • Suplementos alimentares: bactérias do leite, levedura de cerveja, óleo de prímula e omega – 3.

Alimentação em situações de neutropenia

Frequentemente são realizados tratamentos com imunossupressores, ou seja, se baixam as defesas da pessoa para que os tratamentos contra o câncer sejam mais efetivos. Nessas situações, o corpo é exposto a um maior risco de contrair alguma infecção por vírus, bactérias ou fungos. Normalmente, as situações de neutropenia ocorrem em receitas hospitalares onde se controla muito bem o estado da pessoa.

O papel do nutricionista assume relevância quando se recebe alta e volta para casa com as defesas muito baixas e com umas recomendações escassas em uma folha de papel.

Com a dieta, ao contrário do que nos casos anteriores, não se deve aumentar a imunidade da pessoa. Mas será necessário assegurar-se de que esteja bem alimentada e evitar que os alimentos possam ser um foco de infecção.

A chave é realizar cerca de rigorosas normas de seleção, higiene e manipulação de alimentos. Principais dicas:

  • Não beber água da torneira. Beber água engarrafada.
  • Cozinhar os alimentos de forma completa até que cheguem a uma temperatura superior a 65ºC no centro do produto.
  • Desinfectem facilmente as verduras, as hortaliças e as frutas antes de cortá-los e pelarlas com lixívia de uso alimentar.

Alimentos a evitar

  • Lácteos não pasteurizados.
  • Iogurtes, queijos e iogurte.
  • Ovos crus ou pouco cozidos.
  • Carne, peixe ou marisco cru ou pouco cozido.
  • Hambúrgueres, almôndegas e produtos picados.
  • Enchidos crus.
  • Fruta que não se pode descascar ou que a pele seja porosa, como morangos, uvas e kiwis.
  • Vegetais crus, como alface, azeitonas e tomates.
  • Sucos de fruta natural.
  • Frutos secos.
  • Especiarias cruas.
  • Cogumelos.

Alimentos permitidos

  • Ovo cozido ou pasteurizado.
  • Leite e derivados pasteurizados em embalagens individuais: fã, natilla, arroz com leite.
  • Carne, peixe, frango cozido mais de 65ºC.
  • Alimentos infantis industrializados e alimentos em pó.
  • Enchidos cozidos, como o presunto de york e o fiambre de peru.
  • Fruta higienizada com água sanitária e pelada. Crua ou cozida.
  • Doces em embalagens individuais.
  • Legumes cozidos.
  • Queijos e iogurtes pasteurizados, após a fermentação.
  • Especiarias adicionadas antes da cozedura dos alimentos.

O suporte do nutricionista – nutricionista em pacientes com câncer

Os objetivos da terapia de nutricionistas – nutricionistas que trabalham em Alimmenta são:

  • Prevenir e corrigir deficiências nutricionais no paciente.
  • Evitar a perda de peso e, sobretudo, a musculatura da pessoa.
  • Potencializar os nutrientes que fortalecem o sistema imunológico.
  • Fornecer ajuda para melhorar a tolerância aos tratamentos e reduzir seus efeitos colaterais.

Em suma, melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Prevenção do câncer através da alimentação e o exercício físico

A investigação científica dos últimos anos tem mostrado como um padrão alimentar saudável e a prática de exercício físico é o fator mais importante para a prevenção dos diferentes tipos de câncer. Em concreto, a atividade física (intensidade média e alta), o consumo de frutas e vegetais, um peso adequado (com um percentual de gordura baixo) e o não consumo de bebidas alcoólicas (incluindo vinho e cerveja) e de carnes processadas (embutidos, muitas…) são os principais hábitos que podemos levar as pessoas para prevenir esta doença. Você tem mais informações neste documento elaborado pela World Cancer Research Fund.

Mais informação sobre câncer e dieta

No vídeo abaixo, você pode ver a Joana Manuel González, Diretora Técnica de Alimmenta, no programa Das Manhãs Da 1 tratando sobre o câncer e a alimentação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *